quarta-feira, março 30, 2011

Pratique o desapego ;)

A Irlanda é Linda!

Depois de ler o livro MELANCIA, de Marian Keyes, em que a história se passa na maior parte do tempo em Dublin, capital da Irlanda, fiquei curiosa em conhecer mais sobre este país. E pesquisando encontrei imagens incríveis, numa harmonia perfeita entre o antigo e o contemporâneo, um charme único, e um requinte inusitado. Achei que iriam gostar de desfrutar comigo dessas belezas quase desconhecidas... Seguem abaixo algumas imagens e um pouco da história de Dublin, que encontrei garimpando pela rede. Deleitem-se:








Dublin, chamada originalmente Dubh Linn que significa “Lagoa Negra”, é capital e maior cidade da Irlanda. Fundada pelos vikings, localizada às margens do rio Liffey, atualmente, essa metrópole cosmopolita, mais com cara de vila pela sensação hospitaleira que oferece, vem se tornando uma das mais animadas capitais do mundo!
A cidade é muito popular principalmente pelos seus pubs. Neles, o que não faltam são pessoas ouvindo boa música e apreciando uma Guinness. Mas a vida dos pubs de Dublin não se limita a um simples bate papo, eles são o lugar ideal pra quem quer conhecer um pouco da história da capital, pois além de cenário a trechos célebres da literatura irlandesa, foram igualmente local de reunião de políticos rebeldes e palco para a estréia de muitos músicos famosos.


Depois de uma noite divertida, nada melhor do que curtir o dia na cidade. Vale a pena caminhar por ela apreciando as belas praças, as ruas, as casas bonitas, com portas coloridas e a admirável arquitetura que essa capital possui.
Dublin é vibrante, uma cidade cheia de alegria, tem tudo o que você desejar: história, cultura, noite agitada, um povo simpático, e ainda muito mais para se descobrir.
Considerado um do melhores para se viver no mundo, com certeza essa cidade vai lhe trazer novos encantos.



Tudo em Dublin remete à cultura. Ela é cidade de grandes escritores, como: George Bernard Shaw, Bram Stoker, Jonathan Swift, Oscar Wilde, William Butler Yeats, Samuel Beckett, James Joyce, autor de Ulisses, de grandes músicos, como Enya, U2, entre outros.
Dublin, capital rica de tradições e mitos, existe muito para ser apreciado. Museus e galerias vão ter de sobra para você se perder nesse centro cultural.

Dublin nunca foi considerada uma capital gastronômica, porém, de uns tempos para cá, com o crescimento e modernização da cidade, o paladar dos irlandeses de Dublin passou a ficar mais apurado e a comida se tornou de alta qualidade!

A culinária tradicional irlandesa é constituída basicamente por carnes e raízes, como: batatas, cenouras. São pratos simples, mas muito saborosos, como exemplos: repolho salteado a bacon servido com batatas cozidas e os ensopados, entre os mais populares: o de carne de vaca em cerveja Guinness. Mas você encontra na cidade pratos mais modernos, servidos principalmente em hotéis e restaurantes.

Agora você deve estar imaginando, “cadê o peixe no cardápio?”, algo apropriado de se pensar, tendo em vista que o país é uma ilha. A resposta para tal questão está na religião. O catolicismo sempre foi a religião predominante na Irlanda. Toda sexta-feira, era terminantemente proibido comer carne, como forma de redenção dos pecados cometidos. Assim o peixe se tornava a única opção viável, mas não era consumido por prazer, para deliciá-lo e sim como castigo, por essa razão não é de costume encontrar pratos com peixes no cardápio irlandês.

Diante de tanta coisa boa, pegue leve, pois comer nessa bela cidade não é barato.


Na cidades dos Pubs, claro que diversão é o que tem de sobra. Em Dublin existem quase 1000 Pubs que garantem à cidade uma vida noturna muito agitada. Além do mais, a capital possui uma população com idade mais jovem do mundo.
Entres os Pubs mais conhecidos estão os: Brazen Head, datado de 1198, tem a fama de ser o mais antigo; o Mullingan's fundado em 1782 é considerado imbatível na qualidade da sua cerveja; e o MC Daids, versão de um pub literário, nele há uma estante cheia de livros.
Ainda tem o Odeon, bar montado dentro da antiga estação de trem Harcourt Street. Nele você pode saborear pratos lendo os jornais que a casa oferece gratuitamente aos fregueses. Quer mais opções? Vá à região do Temple Bar, por lá você encontra de tudo. A noite em Dublin é cheia de entretenimento.


Noite super animada, belíssimas paisagens, pensa que acabou? Tem muito mais para se conhecer nessa espetacular cidade.
Em Dublin existem diversos lugares que devem ser visitados. Entre eles:


Dublin Castle: Estrututa do século 13, foi centro do poder britânico da Irlanda por sete séculos, até o governo retomá-lo em 1922.





Catedral de St. Patrick: Além da exuberante arquitetura, não deixe de assistir ao coral, é magnífico!






Christ Church: Aprecie a beleza dessa catedral caminhando desde a margem do rio Liffey, pois ela foi construída abaixo do nível do chão, justamente para ser apreciada a partir do rio.





Trinity College: Foi fundado em 1592 pela rainha Elisabeth I. Nele você encontra uma biblioteca, com 200 mil obras.






Writers Museum: Na terra dos grandes escritores, claro que deveria ter um museu dedicado a eles! Em Dublin você localiza também, museus literários e neles as primeiras edições de As Viagens de Gulliver e Drácula.



James Joyce Centre: No centro ficam expostos objetos, fotos, livros e documentos do autor de Ulysses. Existe até um dia, 16 de junho, em que se homenageia a obra Ulysses, o Bloomsday. Este é o dia, no ano de 1904, que marca a caminhada do protagonista, Leopold Bloom, por Dublin. Comemorado em diversas cidades do mundo, o evento foi criado em São Paulo, em 1988.




Museu Nacional: Estabelecido em 1890, o museu reflete a historia da Irlanda de 2000 a.C aos tempos atuais.






Destilaria Jameson: Oferece passeio guiado sobre a fabricação de uísque da marca.




Entre muitos outros museus, galerias, jardins e castelos. Se você curte um passeio mais natural, conheça um dos muitos campos e faça um passeio perto dos lagos. Agora se você faz parte do grupo dos esportistas, não deixe de conhecer o K Club, campo de golfe mundialmente conhecido. Há também o Museu do Cavalo e Coudelaria Nacional no Condado de Kildare, dedicados, claro a prática de corridas com cavalo.
Em Dublin você encontra lugares espetaculares para todos os gostos.


 Se gastar é o que você tem em mente, então vá direto para principal área de compras de Dublin, que fica entre a Grafton Street e a Stephen’s Green. Lá você encontra lojas como a Brown Thomas, esta faz promoções de roupas de estilistas 
estrangeiros e tem muitas grifes famosas,
 como Dolce & Gabana, Channel, etc. 

Outra rua cheia de lojas é a O’ Connel Street.




Quer fazer compras, mas está com pouco dinheiro? Fique tranqüilo, pois você pode passar no Temple Bar, que além de ser um excelente lugar para se passar a noite, tem brechós, sebos, lojas de discos, cds,artesanatos, entre outros artefatos.
 A cidade tem uma rede de ônibus muito eficiente. Fora o ônibus os transportes públicos mais utilizados são: Dart, que é o trem de Dublin, Luas, que são como bondinhos, ele atravessa as grandes avenidas da cidades e os táxis.
É muito interessante percorrer a cidade a pé, e claro de bicicleta.
Preste atenção na hora de pegar ônibus, pois não é como no Brasil, lá eles cobram por trajeto. Então você deve saber exatamente a rua em que quer desembarcar para saber o quanto deverá pagar e se comprar o tíquete avulso, tenha o dinheiro correto em moedas, pois se pagar a mais, não tem troco.

Informações retiradas de diversos sites.








sábado, março 26, 2011

Japão, estamos orando por vocês!

Depois de tanta destruição e tristeza, vale a pena lembrar quanta beleza há naquele país!

Japão, estamos orando por vocês!







quinta-feira, março 24, 2011

O MUNDO VIROU





O collant virou body 
O rouge virou blush
O pó-de-arroz virou pó-compacto
O brilho virou gloss
O rímel virou máscara incolor
A lycra virou stretch
Anabela virou plataforma

O corpete virou porta-seios
Que virou sutiã
Que virou lib
Que virou silicone
A peruca virou aplique, interlace, 
megahair, alongamento
A escova virou chapinha

"Problemas de moça" viraram TPM
Confete virou MM
A crise de nervos virou stress
A chita virou viscose.
A purpurina virou gliter
A brilhantina virou mousse 
Os halteres viraram bomba
A ergométrica virou spinning
A tanga virou fio dental
E o fio dental virou anti-séptico bucal
Ninguém mais vê... 
Ping-Pong virou Babaloo
O a-la-carte virou self-service

A tristeza, depresão
O espaguete virou miojo pronto
A paquera virou pegação
A gafieira virou dança de salão
O que era praça virou shopping 
A areia virou ringue
A caneta virou teclado
O long play virou CD 
A fita de vídeo é DVD
O CD já é MP3
É um filho onde éramos seis 
O album de fotos agora é mostrado por e-mail
O namoro agora é virtual 
A cantada virou torpedo
E do "não" não se tem medo
O break virou street
O samba, pagode
O carnaval de rua virou Sapucaí
O folclore brasileiro, halloween
O piano agora é teclado, também
O forró de sanfona ficou eletrônico
Fortificante não é mais Biotônico
Bicicleta virou Bike

Polícia e ladrão virou counter strike
Folhetins são novelas de tv 
Fauna e flora a desaparecer
Lobato virou Paulo Coelho
Caetano virou um chato
Chico sumiu da fm e tv
Baby se converteu
RPM desapareceu 
Elis ressuscitou em Maria Rita?
Gal virou fênix
Raul e Renato, 
Cássia e Cazuza, 
Lennon e Elvis,
Todos anjos
Agora só tocam lira...

A AIDS virou gripe 
A bala antes encontrada agora é perdida
A violência está coisa maldita! 

A maconha é calmante
O professor é agora o facilitador
As lições já não importam mais
A guerra superou a paz
E a sociedade ficou incapaz...
De tudo .
Inclusive de notar essas diferenças.


(Autor Desconhecido)

quarta-feira, março 23, 2011

Re-blogando: Terapia em Dia - Mas Ele Diz que Me Ama...

Mas ele diz que me ama…

O título do post é o nome de um livro lançado no Brasil pela ediouro, e conta, de forma ilustrada, como a autora Rosalind viveu uma incrível história de amor que foi se transformando em um pesadelo, com abusos físicos, psicólogicos e até mesmo sexuais, acarretando à autora até mesmo uma dissociação com a realidade.
Acho que é um livro que vale a pena ser lido. Abaixo colocarei algumas ilustrações traduzidas, que podem ser encontradas no endereço http://friends-of-rosalind.com
Se ele vai rápido demais, isso soa perigoso….
Se ele exige que você desista de seus sonhos, isso soa perigoso…
Se ele insiste que os planos dele são mais importantes do que o seu, isso soa perigoso…
Se ele é desrespeitoso, ou te humilha em público, isso soa perigoso….
Se ele tenta te isolar de amigos e familiares, isso soa perigoso…
Se ele age como se nada tivesse acontecido após um episódio abusivo, isso soa perigoso…
Se ele te culpa pelo o que acontece e tenta minimizar os abusos cometidos, isso soa perigoso…
Se ele demonstrar ciúmes exagerado, isso soa perigoso…
Se ele controla cada movimento seu, isso soa perigoso…
Se ele mal trata animais, isso soa perigoso…
A dissociação começa quando você começa a se perguntar o que está fazendo de errado, ao invés de enxergar o erro do outro. É como se perdesse a noção da realidade, e aí é mais fácil acreditar no que o outro diz do que em si mesma.

terça-feira, março 22, 2011

Pessoas desconfiadas são as mais fáceis de serem enganadas


 Confiar nos outros não faz de você alguém fácil de ser tapeado, como acontecia com a personagem do clássico da literatura infanto-juvenil Pollyana. Muito pelo contrário, diz um estudo publicado no periódicoSocial Psychological and Personality Science. A confiança é mais propensa em pessoas mais espertas.

191184 sxc Pessoas desconfiadas são as mais fáceis de serem enganadasO estudo foi feito com estudantes de pós-graduação voluntários que eram convidados a assistir a vídeos de supostas entrevistas de empregos feitas por dois tipos de pessoas: algumas que respondiam da melhor forma possível as perguntas e outro grupo composto por pessoas instruídas a dizer ao menos três mentiras significantes em resposta a algumas questões-chave que poderiam ser decisivas para a suposta contratação. Esses dois grupos de participantes das entrevistas receberam pequenas quantias em dinheiro e aqueles que aceitaram dizer mentiras receberiam uma quantia adicional se as respostas mentirosas passassem despercebidas pelos voluntários.
A análise dos vídeos ocorreu alguns dias após a primeira parte do estudo, e os voluntários eram instruídos a medir o nível de honestidade dos entrevistados gravados em vídeo. Além disso, os próprios voluntários foram entrevistados para saber o quanto eles confiavam em outras pessoas.
Os voluntários com maiores índices de confiança em outros indivíduos também se mostraram mais eficientes em detectar os participantes mentirosos, ou seja, quanto mais mostravam confiar nas outras pessoas, maior o potencial de identificar a diferença entre uma verdade e uma mentira dita por uma mesma pessoa. Ao contrário do estereótipo, aqueles mais desconfiados também eram os que mais cometiam erros e indicavam a “contratação” dos mentirosos (aqueles que haviam mentido em questões cruciais como formação ou experiência para a função).
“Ao contrário da ideia geral de que pessoas desconfiadas são melhores em detectar mentiras e aquelas mais abertas às pessoas desconhecidas são as que são alvos fáceis para os salafrários, o que vimos aqui foi exatamente o inverso. As pessoas confiam mais quando, de alguma maneira, sabem que podem detectar uma mentira no meio de uma conversa e identificam as intenções de terceiros”, diz Nancy Carter, pesquisadora da Universidade de Toronto, no Canadá.
“Aqueles que confiam nos outros não são bobos, mas sua acuidade interpessoal os faz melhor em identificar e separar bons amigos de ameaças em potencial”, finaliza.
-com informações da Social Psychological and Personality Science

sexta-feira, março 11, 2011

Irascibilidade: Mas se você não me procura, é porque consegue vive...

Irascibilidade: Mas se você não me procura, é porque consegue vive...: "As vezes brigo com o mundo. Brigo com tudo, com todos. Amigos, inimigos, amores, espelho, porta de casa que não abre... E no fundo acabo des..."

terça-feira, março 08, 2011

sábado, março 05, 2011

Olhos Verdes



É triste olhar no espelho 
e ver a cor dos meus olhos 
se esvaindo com o tempo, 
tornando-se uma cor fria, 
passando de um alegre verde 
para um triste cinza...

Céu Cinzento


Cansei de olhar para esse céu e não conseguir encontrar a alegria da minha alma. Busco lembranças de sorrisos, sonhos, desejos, de uma vida que não vivi...
Maldita dor essa que arde dentro de mim, me consome a cada instante e me deixa agonizando. Tento recorrer às lembranças, mas elas são opacas e esfumaçadas, como as nuvens que percorrem esse imenso céu.Um céu cinzento, assim como minha alma, assim como eu....

"Quero somente voltar a ter algum desejo, e nada mais."

sexta-feira, março 04, 2011

Por que nos apaixonamos?



Na minha opinião tudo começa pelo lado biológico, nos unimos em pares porque temos uma programação para reprodução (mesmo os homossexuais, a programação está lá, só o objeto do afeto é que muda) sentimos uma atração fisiológica, já explicada pela biologia e neurociência. Conseguimos ler os genes do outro para uma parceria proveitosa, mas ficamos juntos porque não somos só um corpo, temos a psique, necessidades emocionais e sociais, e também porque somos espíritos que se reconhecem como uma unidade.

Daí os três tipos de amor: Eros, Philia e Ágape; erótico, fraternal e espiritual. Se empreendermos a viagem toda começamos por uma atração erótica, passamos pelo amor fraternal e terminamos numa liberdade espiritual. Mas a maioria se perde no primeiro estágio, o erótico, que é bem enlouquecedor mesmo! Quando alguns começam a experimentar o philia o amor fraternal, entendem que não estão mais ligados ao parceiro, pois não sentem mais tanta atração sexual e terminam se separando para começar tudo de novo, entendendo assim que o amor é só a loucura de paixão.

Tenho fé que passaremos, em maior quantidade, para o segundo e o terceiro estágio da jornada em busca de si mesmo que é o que chamamos de amor. Basta perdermos o medo e abrirmos a mente, acreditando que vamos sempre para um estágio melhor e mais evoluído da expressão afetiva. É preciso desapego das ideias prontas do que deve ser amor entre parceiros para seguirmos adiante, mas não temos outra escolha, mais cedo ou mais tarde descobriremos isso e temos toda a eternidade para encontrar e realizar esta experiência.

Então para responder a pergunta; nos apaixonamos por que queremos empreender uma jornada espiritual para experimentarmos quem somos nós, mas nos perdemos no meio do caminho, ou melhor, no início, e ficamos rodando em círculos, embriagados pelo "poder sexual". Quando adquirimos lucidez, passamos pelos outros estágios e nos libertamos das forças primárias, não achamos mais que somos controlados e sim que nós conduzimos para onde quisermos. Apaixonar-se é o começo da viagem, o primeiro degrau apenas.



Este texto foi postado originalmente no blog "Múltiplas Realidades", e achei bem oportuno postá-lo aqui, com algumas adaptações.